“Muitas vezes tenho a ideia duma coisa, vou para o ateliê trabalhar e não consigo lá chegar, porque entre a ideia e a execução…. Eu acho que desenhar com motosserra é muito bom”. Pois… a motosserra. É com ela que grava sulcos duma precisão impressionante. É o  delicado equilíbrio entre a inspiração e a transpiração. E não há muita volta a dar.  Trabalho, muito trabalho, e tempo, fazem com que o talento se materialize em obra de arte.

– continuar a ler o artigo no Jornal de Barcelos,

de 24 de Novembro de 2010, aqui.